Dente latejando: conheça as principais causas e tratamentos

Algumas vezes a dor de dente é tão forte que parece deixar o dente latejando, e também acaba fazendo com que busquemos por maneiras de acabar com ela.

Sendo assim confira os principais motivos que deixam o dente latejando:

dente latejando o que pode ser

Dente latejando o que pode ser?

O dente latejando pode ser causado por diversos motivos nos quais cada um desses motivos é responsável por causar outros sintomas além da dor de dente.

Dessa maneira, confira sobre os principais motivos que deixam o dente latejando:

Cáries

A cárie no dente, também conhecida como dente podre e reconhecida pelo famoso ponto preto no dente, é um problema causado por bactérias que existem naturalmente na boca.

Quando essas bactérias se acumulam, elas formam um fino biofilme sobre os dentes chamado de placa bacteriana.

Caso a placa bacteriana não seja tratada, ela evolui para uma camada rígida de bactérias denominada tártaro.

O tártaro serve como uma camada protetora para essas bactérias, o que oferece a elas um ambiente ideal para se desenvolverem.

Dessa maneira, esse acúmulo de bactérias vai perfurando a estrutura dos dentes aos poucos e ao ir se aprofundando acaba causando bastante desconforto.

Sintomas da cárie

O sintoma mais marcante da cárie, além do ponto preto no dente, é o dente latejando. Dessa maneira, confira os sintomas mais marcantes da cárie no dente:

  • Dor de dente que piora ao ingerir alimentos doces, frios ou quentes;
  • Pequenos furinhos nos dentes, que pode aparecer em apenas um ou em mais;
  • Manchas nos dentes;
  • Dor ao tocar o dente;
  • Gengiva inchada e sensível.

Inicialmente a cárie não possui nenhum sintoma além da presença de pequenos pontinhos pretos no dente.

Desse modo, é muito importante procurar um dentista ao surgirem os primeiros sintomas pelo fato de que quanto mais cedo for o diagnóstico mais cedo pode-se iniciar o tratamento.

Sendo assim, quanto mais cedo iniciar o tratamento correto, menores são as chances de surgirem complicações, como uma infecção ou até mesmo a perda de um dente.

Principais causas

A cárie normalmente é causada pela higienização inadequada da boca, o que acaba causando o acúmulo de partículas de alimentos e bactérias na boca, o que acaba contribuindo para o desenvolvimento da placa bacteriana, do tártaro e da cárie.

O consumo de alimentos ricos em açúcar, como doces e biscoitos, são grandes contribuidores do desenvolvimento dessas bactérias nos dentes.

As bactérias responsáveis pela cárie se desenvolvem quando existe uma grande quantidade de açúcar, sendo esse o motivo de elas se agruparem sobre os dentes, formando a placa bacteriana.

Essas bactérias ao se alimentarem pelo processo de fermentação, acabam produzindo um ácido responsável por corroer o esmalte dentário, formando assim a cárie.

Além disso, apesar de a cárie ser um problema causado por uma bactéria, ela não é transmitida por beijos ou compartilhamento de objetos.

Como tratar cárie

Como tratar?

O tratamento da cárie é feito em consultório odontológico, através da restauração dentária e do tratamento de canal.

Dessa maneira, seu tratamento é feito através da remoção da parte comprometida do dente e substituição dessa parte por outras partes artificiais que não estão comprometidas.

Já a prevenção é feita através de bons cuidados de higiene e da realização de profilaxias regulares, visto que elas são responsáveis por remover a placa bacteriana e o tártaro.

Pulpite

A pulpite é a inflamação da polpa dentária, que é uma estrutura que possui muitas terminações nervosas e vasos sanguíneos e fica no interior dos dentes.

Essa condição é responsável por deixar o dente latejando, piorando quando há estímulos como a ingestão de alimentos quentes ou frios.

A pulpite pode ocorrer por diversos motivos, e é importante que seu diagnóstico seja feito o mais cedo possível para que possa ser tratada da maneira correta antes que se complique.

Sintomas da pulpite

O sintoma mais comum e marcante da pulpite é o dente latejando por estar inflamando, e essa dor pode piorar quando a pessoa mastiga ou ingere alimentos muito quentes ou frios.

Os sintomas da pulpite podem aparecer num período entre 2 a 14 dias, podendo ser classificada como pulpite aguda ou crônica.

Quando é um caso de pulpite aguda, é comum que haja a presença de pus graças a infecção secundária no dente.

A pulpite crônica ocorre progressivamente ao longo do tempo e pode acontecer de diferentes formas, que são:

  • Pulpite crônica ulcerativa: que ocorre quando há um desgaste no dente a ponto de deixar a polpa exposta;
  • Pulpite crônica hiperplásica: ocorre quando a polpa do dente cresce por conta de uma inflamação e acaba formando um pólipo;
  • Pulpite crônica esclerosante: ocorre devido a uma degeneração que acontece devido a idade avançada, sendo mais comum em idosos.

A pulpite crônica não causa muitos sintomas como a aguda e grande partes das vezes é assintomática, o que faz com que seja mais difícil de detectar.

Além disso, por conta da grande degeneração da polpa do dente, normalmente a pulpite crônica é irreversível.

Principais causas

A pulpite pode ocorrer por causa de vários fatores que podem acabar provocando a inflamação do dente, sendo que as principais causas são:

  • Cárie;
  • Trauma;
  • Bruxismo;
  • Periodontite;
  • Quimio e/ou radioterapia.

Essas são situações que causam a inflamação das raízes e dos vasos sanguíneos que compõem a polpa do dente.

Tratamento

O tratamento da pulpite deve ser feito de acordo com as recomendações do dentista, que irá avaliar os sintomas e a causa e a partir disso irá indicar o tratamento.

Além disso, o tratamento é diferente para casos de pulpite reversível e irreversível. Desse modo, confira como é feito o tratamento da pulpite:

  • Pulpite reversível: é aquela que ocorre quando a polpa, apesar de estar inflamada, não está comprometida. Nesse caso o tratamento é feito a partir da remoção da causa da inflamação e da restauração do dente;
  • Pulpite irreversível: é o tipo de pulpite que ocorre quando a polpa está necrosada ou comprometida pela inflamação e infecção. Nesse caso é necessário remover a polpa por completo, visto que ela se encontra completamente comprometida.

Além disso, quando a pulpite é causada por bactérias, o dentista pode receitar o uso de antibióticos e de analgésicos para o alívio da dor.

dente latejando o que fazer

Dente latejando o que fazer?

O ideal é que ao sentir que seu dente está latejando você procure um atendimento odontológico o mais rápido possível para que o dentista possa avaliar o seu caso.

Porém, caso não seja possível visitar um dentista de imediato, o paciente pode tomar certas ações para reduzir a dor de dente até poder visitar o dentista.

Portanto, para aliviar o dente latejando o paciente pode:

  • Atentar-se aos hábitos de higiene bucal, para garantir que está higienizando os dentes da maneira correta;
  • Bochechar água com sal para ajudar no combate contra os microrganismos;
  • Aplicar até 2 gotas de óleo de cravo-da-índia sobre o dente doendo;
  • Bochechar chá de gengibre e própolis, que possuem propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas;
  • Aplicar uma compressa fria sobre a região;
  • Tomar analgésicos de venda livre.

É importante lembrar que nenhum desses cuidados substitui a visita ao dentista, portanto, é extremamente importante consultar-se com um profissional.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são importantes pelo fato de que é por meio delas que o paciente pode relatar que está com o dente latejando.

Desse modo, após o paciente relatar sua dor de dente, o dentista pode avaliar e tentar identificar a causa e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Por meio delas, o paciente também consegue relatar qualquer tipo de sintoma anormal que ele esteja sentindo, e assim o dentista consegue iniciar o processo de avaliação para identificar os problemas.

Ele também consegue garantir que o tratamento de problemas como o tártaro e a cárie, sejam tratados logo em seu início, evitando que se tornem complicações severas.

Além disso, por meio delas também é possível efetuar a profilaxia, que é limpeza profissional dos dentes e deve ser feita de 6 em 6 meses para a manutenção da higiene dos dentes.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

FAÇA SUA AVALIAÇÃO GRATUITA

Dente latejando: conheça as principais causas e tratamentos publicado primeiro em http://dentalvidas.com.br/

Deixe um comentário