Fluorose: o que é, principais sintomas e como tratar

A fluorose, assim como a placa bacteriana e a cárie, deve ser uma das anomalias que os pais devem temer durante os primeiros momentos da arcada dentária do filho.

Conheça aqui do que se trata, quais são os principais sinais da fluorose e quais as principais formas de tratamento:

O que é fluorose?

A fluorose dentária é um problema que afeta a estética dos dentes em meio ao seu período de formação. Como o seu próprio nome indica, ocorre devido à exposição exagerada dos dentes ao flúor, que reagem com o aparecimento de manchinhas brancas e opacas.

As manchas características da fluorose normalmente podem ser percebidas por linhas finas em sua fase inicial, evoluindo assim para manchas grandes e assimétricas, que com o passar do tempo podem comprometer toda a cor do dente – ficar amarronzadas, isso dependendo do grau e da gravidade da anomalia.

Uma vez que a criança tende a aprender a escovar os dentes com seus pais, é muito importante que os seus pais ou responsáveis tenham o cuidado ao introduzir bons hábitos quanto a higiene bucal. Mesmo que a limpeza dos dentes deva ser precisa, é muito importante que não haja exageros, tal como do uso de flúor.

É muito importante que se recorra desde o início às orientações de um especialista, no caso, de um odontopediatra, para que não haja o aparecimento dessas manchas brancas durante o período de formação dos dentes de leite (decíduos).

fluorose dentária

O que causa a fluorose dentária?

Como visto, a fluorose é identificada ainda na infância, prejudicando não só a aparência dos dentes de leite, mas também dos dentes permanentes.

Sua causa principal é o consumo excessivo de flúor, desde o seu uso embutido em produtos de higiene bucal, quanto contido no consumo de água fluoretada e na composição de certos medicamentos.

Na infância, normalmente, o aparecimento das manchinhas se deve a higiene dos dentes com o uso de creme dental fluoretado. No início, sem a orientação e controle necessário, as crianças, por serem muito novas e estarem aprendendo, acabam por não fazerem o controle exato da quantidade de pasta, podendo até mesmo ingerir o produto sem querer e provocar a fluorose óssea.

Deve-se levar em conta que crianças com cerca de 3 anos ainda possuem uma coordenação motora deficitária, ainda não possuindo a capacidade de bochechar e cuspir. Dessa forma, há a ingestão da pasta de dente a cada escovação. É assim que os dentes permanentes acabam por nascer com esse problema.

Contudo, concluindo, o consumo de água ou uso de produtos com flúor em meio a vida adulta não agrava a fluorose, já que é um problema desenvolvido na infância e que segue a pessoa nas demais fases da vida.

Em outras circunstâncias, mais raras, diante de certos tratamentos dentários com flúor, na falta de controle, os dentes do paciente também podem desenvolver fluorose.

Como a fluorose se desenvolve no dente?

Ao contrário do que aparenta, o tecido protetor do dente, o esmalte, é sensível, mesmo sendo o tecido mais mineralizado do corpo humano. Durante a sua formação, o esmalte apresenta alta sensibilidade às alterações ambientais, essas por sua vez, podem levar a mudanças em sua aparência.

Dessa forma, anomalias no esmalte podem levar ao aparecimento de defeitos no local, sejam eles qualitativos ou quantitativos. A fluorose dentária pode se classificar como uma anomalia qualitativa, em que o esmalte possui a sua espessura normal, mas com registros de hipomineralização, em que há o aparecimento de alterações em sua translucidez.

Com o contato em excesso do flúor no dente em meio a maturação do esmalte e durante o seu processo de formação, pela fluorose há o aumento da porosidade do esmalte, e assim a sua apresentação opaca e manchas que podem ir do branco, ao amarelo e ao marrom escuro.

fluorose dentaria

Quais são os principais sintomas da fluorose nos dentes?

A identificação da fluorose é muito simples e pode ser feita ainda em casa pela observação da arcada dentária. A principal forma de detectar a fluorose nos dentes é notando o aparecimento de suas famosas alterações de cor.

Dessa forma, é também observando a tonalidade dessas alterações, que se é possível perceber a gravidade do problema, recorrendo imediatamente ao dentista diante um grande contraste dos dentes, ou quando o indivíduo achar necessário.

Vale considerar que casos mais graves da fluorose, o esmalte está em um estado ainda mais grave devido ao processo de desmineração. Assim, além das mudanças na coloração, o problema pode comprometer a estrutura, o formato e a superfície dos dentes, levando a desarmonia do sorriso por anormalidades e desgastes.

Quais as possíveis consequências?

Assim como demais problemas bucais, a fluorose, quando não tratada, pode trazer complicações para com a saúde bucal.

Com o impacto na estética do sorriso, pode trazer prejuízos à autoestima do paciente, e assim infringir a sua autoconfiança em sorrir e se relacionar, o que pode comprometer até mesmo a sua qualidade de vida e saúde geral.

Por sua gravidade e maior sensibilidade dos dentes, a arcada fica mais fragilizada, sendo comum a incidência de corrosões e fraturas, e ainda o aparecimento de problemas bucais como tártaro, cárie dentária e gengivite. Por fim, desgastes e mastigação inadequada podem ser decorrentes das alterações na estrutura dos dentes.

fluorose dental

Como prevenir a fluorose dentária?

Considerando que a fluorose dentária é causada pelo consumo exagerado de flúor, a sua ação preventiva se baseia justamente no controle desse mineral.

O recomendado é que crianças utilizem pastas de dentes específicas para a sua idade, passando essas pela indicação do dentista quanto a quantidade de flúor no produto. A escovação e as orientações da escovação devem ser supervisionadas por um adulto, que deve ressaltar com a criança a importância de não engolir e sim cuspir o produto.

O recomendado é que em meio ao nascimento dos primeiros dentes, a criança já utilize um creme dental de 1.100 ppm de flúor, com uma quantidade de pasta semelhante a proporção de um grão de arroz.

A aplicação de flúor só deve ser feita por um dentista quando observada a necessidade desse mineral em algum tratamento. A suplementação desse mineral não deve ser feita sem a indicação de um especialista.

É bom conversar ainda com o odontopediatra a respeito da água enriquecida com flúor e se a criança pode realizar o consumo sem devidas preocupações. Antes se informe sobre a composição da água a qual a sua cidade é abastecida para obter informações mais embasadas.

Por fim, entre as demais formas de prevenção da fluorose estão ter cuidado durante medicação por remédios com flúor e uma alimentação saudável e equilibrada, já que o flúor também pode estar presente em alimentos.

Como é feito o tratamento?

O tratamento da fluorose deve ser indicado por um dentista, devendo haver uma consulta para que haja a análise da dentição e assim a recomendação da melhor abordagem a ser feita.

Entre as possíveis abordagens a serem feitas estão a de microabrasão, que é devido ao desgaste superficial do esmalte, que leva a suavização das manchas. Para um resultado estético ainda melhor, o dentista pode ser submetido a um clareamento dental, fazendo com que a coloração dos dentes fique mais homogênea.

O clareamento dental faz com que a tonalidade da mancha diminua, reduzindo assim também a percepção da fluorose.

Em situações mais complexas, as manchas podem não ser removíveis por meio dessa associação, podendo o paciente recorrer a colocação de coroas dentárias, lentes de contato dental ou facetas de porcelana, devolvendo harmonia e simetria. O tratamento da fluorose tende a variar quanto a idade do paciente e além do clareamento, outras formas de terapia podem ser associadas.

Leve em conta que uma vez que o acompanhamento é feito mais cedo, pode-se prevenir vários outros problemas bucais. Além de ocultar as manchas, na maioria das vezes, o tratamento da fluorose pode ajudar a fazer com que os dentes fiquem mais brancos, homogêneos e alongados.

o que é fluorose

Visitas regulares ao dentista

É pelas visitas regulares ao dentista que se é possível evitar e tratar as manchas da fluorose em sua fase inicial.

Assim sendo, feitas as visitas periódicas ao consultório odontológico, o dentista consegue avaliar e dá orientações quanto a adesão de bons hábitos.

Também é mantendo a periodicidade necessária que o paciente consiga manter os benefícios dos procedimentos regulares, como a profilaxia (limpeza profissional), que deve ser feita ao menos 2 vezes ao ano (de 6 em 6 meses).

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

FAÇA SUA AVALIAÇÃO GRATUITA

Fluorose: o que é, principais sintomas e como tratar publicado primeiro em http://dentalvidas.com.br/

Deixe um comentário