Piercing na boca: um guia completo com os cuidados necessários

Piercing na boca | Com o tempo, nascem e morrem tendências no mundo da moda, indo de roupas a acessórios.

O piercing na boca é uma das tendências entre os jovens, contudo, não pode ser apenas uma questão estética, devendo a pessoa considerar os cuidados necessários para a manutenção da saúde bucal.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o uso de piercing na boca, quais são os modelos, quais são os cuidados necessários, riscos e contraindicações.

O que é piercing na boca?

O piercing ou body piercing é uma das mais comuns formas de alteração e de enfeite no corpo humano. Com a colocação do piercing, a parte do corpo escolhida passa por um processo de perfuração em que são introduzidas peças de metal esterilizado.

Os piercings podem ser confeccionados por diferentes tipos de materiais. O piercing pode ser feito em aço cirúrgico, titânio, teflon e até mesmo ouro. 

Contudo, os materiais mais indicados tendem a ser o titânio ou até mesmo o teflon, considerando o fato de serem menos reativos e causarem uma menor resposta imunológica no corpo. O uso do ouro tende a não ser indicado, por conta de uma possível reação alérgica.

Quanto aos seus tipos, os mais comuns são os piercings na boca, que podem perfurar as línguas, gengiva, bochechas e lábios. No entanto, mesmo que o acessório possa trazer melhorias para a autoestima, continua sendo um acessório alheio ao corpo, sendo necessário a tomada de cuidados durante o uso, evitando complicações à saúde bucal e geral.

Piercing na boca e saúde bucal, qual a relação?

O uso desse tipo de jóia deve deixar o alerta de perigos e riscos à saúde, e caso não tomada as devidas precauções passadas pelo dentista, pode trazer problemas com o tempo.

A zona bucal possui milhares de bactérias, sendo mais de 500 mil tipos, e diante da falta de higienização devida, é bem comum a evolução de problemas como infecção do local e em seguida a formação de edemas (inchaço).

Na falta de tratamento, o local pode inchar ainda mais em meio ao processo de cicatrização, sendo capaz de fechar as vias aéreas, comprometendo a respiração. Logo, para evitar situações como essas, é importante se atentar a qualidade da jóia, além dos cuidados com a higienização.

Além disso, é importante considerar o manuseamento do piercing, tomando cuidado com possíveis lesões.

Quais são os modelos de piercing na boca?

Existem vários tipos de piercings na boca, já que eles possuem diferentes formas e podem ser posicionados em vários locais na boca, seja no centro e no canto do lábio, seja superior ou inferior, na lateral acima do lábio superior ou inferior, ou até mesmo dentro da boca, na língua ou tecido gengival.

Conheça quais são os tipos de piercings na boca:

Piercing medusa

O piercing medusa é a joia encaixada na região acima da curva central do lábio superior, logo abaixo do nariz.

O tipo de piercing medusa mais comum é o labret, que pode ser usado tanto no lábio superior, quanto inferior. Nesse modelo, é comum que a pessoa confeccione a peça com pingentes maiores e chamativos.

Piercing labret e vertical labret

Esse modelo também está entre os principais, e pode ser identificado pela colocação de uma argola no meio do lábio inferior, na parte debaixo.

Considerando o vertical labret, pode ser identificado pela perfuração feita no meio do lábio. Aqui, a joia mais usada é o barbell curvo ou ferradura.  

Piercing Monroe ou Madonna piercing 

É um dos modelos mais discretos e é um dos mais utilizados pelo público feminino graças ao ar mais delicado. Nesse caso, a peça é posicionada na parte lateral da boca, na região acima do lábio superior, ficando entre o nariz e a parte final do lábio. 

O nome é em homenagem a Marilyn Monroe, e a cantora Madonna, já que é colocado na mesma região da pinta da atriz e da cantora. Para um visual parecido com o da homenageada, há pessoas que optam por utilizarem um labret preto com bolinha menor, de 2 mm ou 3 mm.

Bites

O piercing Bites é um dos principais e possui variações, como: Canine, Dolphin, Angel, Cyber, Dahlia, Shark, Spider e Snake.

Dolphin Bites

O piercing Dolphin Bites é bem comum e é caracterizado pelo uso de dois labrets no meio do lábio inferior, tendo uma distância de cerca de 2 cm.

Angel Bites

É o piercing posicionado em ambos os lados acima do lábio, ultrapassando a região do buço. Normalmente, o tipo de perfuração feita utiliza um labret com um pingente de bola ou com spikes, as famosas “garrinhas”.

Cyber Bites

O piercing Cyber Bites pode ser caracterizado pela combinação de dois tipos já citados, o vertical labret e o medusa. É um dos tipos mais diferenciados. Em sua perfuração é possível que sejam combinadas peças de coloração diferentes.

Snake Bites

No tipo Snake bites, a perfuração é feita no queixo, onde são colocados dois piercings, perto das extremidades do lábio inferior. Também é comum que a jóia utilizada seja o labret.

Ashley Bites

É um dos mais simples, localizado no meio do lábio inferior, podendo a perfuração ser feita utilizando labret ou microdermal.

Jestrum

É parecida com o modelo do estilo do vertical labret, contudo, sua colocação é feita no lábio superior. A joia mais comum a ser utilizada é o barbell curvo.

Spider bites

Também são utilizados dois piercings em uma das extremidades do lábio. Os furos para colocação são feitos de 1.5 cm até 2 cm para que não haja contato entre eles.

Dahlia Bites

No Dahlia bites, os dois piercings são colocados um de cada lado nas pontas do lábio, também utilizando piercings labret. Contudo, as argolas também são populares. 

Canine Bites

O Canine Bites, diferente dos demais, é um dos mais ousados, sendo composto por 4 piercings colocados ao redor da boca.

Os piercings desse estilo estão distribuídos entre as regiões do piercing Madonna, tanto no lábio superior quanto inferior, o que permite a percepção semelhante a um retangulo.

Shark Bites

É um modelo semelhante ao Spider Bites, contudo são colocados 2 piercings de cada lado do lábio.

Piercing na língua

É o modelo mais comum de piercings na boca. O furo é feito na região central da boca, em que é colocado um barbell, um tipo de bastão com uma bolinha dos lados, de 1,6 mm de espessura.

Contudo, existem vários maneiros do piercing ser posicionado na língua, sendo esse um dos mais populares e que mais dão dor de cabeça à saúde bucal.

Venom

Também é um dos tipos mais comuns, sendo composto por dois piercings, seja labret ou barbell, no centro da língua, posicionados um de cada lado.

Piercing no freio da boca

É um modelo colocado na parte interna da boca, especificamente no freio labial, sendo uma estrutura localizada na gengiva, entre os dentes incisivos centrais em condições normais. O freio influência no movimento dos lábios, fazendo com que o cuidado com esse tipo de jóia seja indispensável.

Snake eyes

O snake eyes é bastante similar ao snake bites localizado no lábio, sendo um piercing feito com uma jóia transversal que atravessa a língua. O nome, assim como a tradução remete “olhos de cobra”, é por conta da imagem que o acessório remete. 

Por conta de seu posicionamento, também é um dos modelos que mais exigem cuidados. O local em que é feita a colocação é capaz de comprometer a movimentação da língua, comprometendo os dentes e até mesmo danificando uma artéria e causando hemorragia e demais complicações.

Piercing Marley ou Web

O piercing Marley ou Web é um dos modelos de piercing colocados no freio lingual, sendo comum a colocação de argolas ou de um barbell curvo. 

Para a colocação desse tipo de acessório, é importante que sejam consideradas as indicações e contraidicações, uma vez que se trata de uma região sensível e que assim como as demais deve ser higienizada constantemente para evitar sinal de infecção.

Smile

É bem similar ao tipo Marley, contudo, sua colocação é feita no lábio superior, utilizando uma agulha de 1,2 mm. É um modelo clássico de piercing em que a perfuração é feita por uma argola ou ferradura de 8 mm de diâmetro.

Piercing no dente

Além da colocação de piercings nos lábios, na língua e mucosa bucal, há ainda o piercing no dente. O piercing dental não ultrapassa o dente, mas é sim colado, sem a necessidade de desgaste da estrutura dentária. 

Assim, contrariando os demais modelos, se trata de um strass ou uma “pedrinha” colada sobre o dente da frente, comumente o canino.

Por sua vez, esse tipo de piercing não traz prejuízos à higiene bucal e nem proporciona nenhum risco de trauma, já que é colado sobre o dente. A colagem é feita em uma área que não compromete a alimentação, pelo próprio dentista em consultório, utilizando uma cola específica. 

Colocar piercing na boca dói?

A colocação do piercing na boca, mesmo que esteja atraindo cada vez mais pessoas, é motivo de medo para pessoas que ainda não aderiram à tendência. Muitas pessoas que se interessam pela joia acabam desistindo por temerem a dor do processo, além dos possíveis riscos à saúde bucal.

Quanto a dor na colocação, é bastante relativa, uma vez que cada pessoa possui uma resistência diferente. Além disso, a dor e o desconforto também irão depender do local em que será feito o furo, considerando as terminações nervosas na região. 

O ideal é que antes da colocação do piercing, que a pessoa opte por recorrer a consulta por um dentista, para que a zona bucal seja avaliada, tal como a qualidade da higiene bucal. Dependendo da percepção do profissional, o paciente pode ser orientado a não optar pelo acessório, além de ser orientado e encaminhado a certos tratamentos.

Caso a saúde bucal esteja em boas condições, é importante que a colocação do piercing seja feita por um body piercer especializado, em um local que siga as normas de limpeza e esterilização, e que utilize antissépticos em seus procedimentos.

Além disso, o mais recomendado, considerando termos de higiene, é que a joia seja feita de material hipoalergênico, de aço cirúrgico inoxidável ou titânio, já que não tendem a soltar resíduos e não acumulam menos resíduos por conta de sua superfície lisa, evitando problemas.

Quais são os principais riscos na perfuração?

Antes de colocar o piercing ou postergar os cuidados necessários, é importante considerar os possíveis riscos que essa jóia é capaz de proporcionar.

Veja quais são os principais riscos quanto a perfuração:

Infecção

A infecção é um dos principais problemas relacionados à colocação do piercing, considerando as bactérias já existentes na boca e que podem agir caso não haja os cuidados de higienização necessários.

Com a falta dos cuidados de higiene necessários, restos de alimentos tendem a entrar e acumular no local das perfurações, fazendo com que as bactérias se acumulem no local e causem a infecção. 

Além da falta dos cuidados de higiene, tocar as partes de metal após a colocação na boca também contribui para o desenvolvimento de uma infecção.

Sangramento prolongado

Como já dito, um dos riscos da colocação do piercing é a perfuração de um vaso sanguíneo pela agulha. Dessa forma, a consequência é sangramento difícil de ser controlado e caracterizado pela perda de sangue acentuada. 

Danos no nervo

Após a perfuração, é possível que você sinta a sua língua entorpecida, o que é comumente temporário. Contudo, em certas situações, o dano causado pode ser permanente.

A lesão no nervo pode prejudicar os movimentos da boca, suas funções, e até mesmo o paladar.

Dor e formação de edema

São um dos sintomas mais comuns após a colocação do piercing na boca. Em casos mais complexos, é comum que a região inche demais, podendo bloquear a passagem de ar e dificultar a respiração.

Dentes danificados

Com a colocação do piercing, até mesmo os dentes podem ser comprometidos. O contato com a jóia pode causar danos principalmente em dentes com restaurações, como coroas dentárias ou jaquetas, que podem ser danificados pelas peças de metal.

Feridas na gengiva

A presença das peças de metal na boca são capazes não só de ferir o tecido da gengival, por conta de sua sensibilidade, mas também podem estar por trás do aparecimento da retração gengival.

Pela retração da gengiva, os dentes ficam mais expostos no sorriso, e assim mais sucetíveis a ação de bactérias e problemas bucais como a cárie e gengivite.

Morder e mexer na perfuração frequentemente também é uma das principais causas de rachaduras, arranhões e da sensibilidade nos dentes.

Funcionamento da boca comprometido

Com a colocação dessas joias, a produção de saliva aumenta, fazendo com que a fala, fonética e até mesmo a mastigação possa ser comprometida. Assim, há também o aumento da baba, o que pode prejudicar na autoestima.

Doenças transmissíveis por via sanguínea

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde, o piercing na boca é uma das formas de transmissão da Hepatite B, C, D e G.

Endocardite

O piercing oral pode também estar entre as causas da endocardite, doença por trás da inflamação das válvulas dos tecidos cardíacos. 

A ferida causada pela perfuração possibilita que as bactérias da boca entrem na corrente sanguínea, que podem chegar ao coração e causar uma infecção no local, afetando principalmente as válvulas cardíacas.

Hipersensibilidade a metais

Pelo uso do acessório, é comum reações alérgicas no local perfurado. 

Impedimento de procedimentos diagnósticos

É comum, considerando o modelo do piercing, que sua extensão acabe bloqueando e comprometendo o resultado de procedimentos diagnósticos e raios-x. Vale ressaltar que as jóias também acabam ficando no caminho de cuidados dentários.

Piercing para pacientes de aparelho odontológico?

Ao contrário do que muitos pensam, os pacientes de tratamentos ortodônticos não são excluídos dessa moda. 

Contudo, devem pensar bem quanto ao local em que será feita a perfuração. Isso considerando que a joia pode acabar entrando em conflito com o aparelho, enroscando no fio ortodôntico ou em demais estruturas.

Dessa forma, é possível evitar acidentes ou a abertura de espaços, acabando por comprometer no resultado do tratamento. 

Não hesite em comentar com seu dentista a respeito. Para quem quer fazer algum procedimento odontológico estético no futuro, como a colocação de lentes de contato dentais e facetas dentárias, também vale a pena levantar esse tópico com o seu dentista.

Quanto tempo dura um piercing?

Caso sejam tomados todos os cuidados necessários, e diante da ausência de infecção ou alguma complicação ou problema bucal, o uso do piercing pode ser prolongado, dependendo ainda da observação feita pelo dentista.

Dessa forma, não há a interferência de funções normais da boca, podendo até mesmo o piercing ser usado permanentemente.

Na presença de algum sinal de problema ou/e desconforto, não hesite em contatar um especialista. Vale está sempre alerta aos riscos envolvidos mesmo após o desaparecimento da ferida da perfuração, como o risco de engolir alguma peça solta ou de danificar as estruturas da zona bucal.

Afinal, quais são os cuidados necessários com o piercing na boca?

Após a aplicação de um piercing na boca, é essencial que sejam tomados cuidados para a manutenção da peça em bom estado e da saúde bucal.

Já no início é importante tomar cuidado quanto ao processo de cicatrização, que tende a durar de 4 a 6 semanas. Aqui já é possível observar o aumento da salivação, o que pode comprometer a fala e mastigação, requerendo uma adaptação do paciente. É importante ter atenção durante todo o processo de cicatrização do furo.

Entre os principais cuidados que devem ser adotados com a colocação da jóia estão:

  • Manutenção de uma higiene bucal adequada e completa – ao menos 3 vezes ao dia, utilizando uma escova de cerdas macias para a limpeza da zona bucal e da peça, contando com a passagem do fio dental e do bochecho com antisséptico bucal;
  • Limpeza regular do piercing – acompanhando as escovações, deve ser feita 3 vezes ao dia, evitando que haja o acúmulo de resíduos no local e possíveis infecções – a limpeza pode ser feita com um gaze umedecida com soro fisiológico;
  • Retirar a joia uma vez ao dia para que seja feita uma higiene bucal profunda;
  • Não manusear o piercing sem lavar antes as mãos;
  • Evitar morder, girar e brincar com o piercing para evitar lesões;
  • Evite remover a peça sem ser por fins de limpeza – principalmente no período de cicatrização;
  • Busque se certificar em certo período de tempo se as peças da joia estão bem apertadas – evitando a possível ingestão ou engasgue;
  • Evite fumar e beber durante o período de cicatrização – já que isso pode fazer com que a cicatrização fique mais lenta;
  • Com a prática de esportes e exercícios físicos, remova a jóia e use protetor bucal;
  • Siga todas as orientações do dentista;
  • Consulte com o seu dentista regularmente – buscando manter a qualidade de saúde bucal e a região do piercing em bom estado.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais, especialmente para pacientes que fazem o uso de algum tipo de piercing oral.

É por essas idas ao consultório que se é possível avaliar a saúde bucal e identificar complicações em sua fase inicial. 

Também é seguindo a periodicidade indicada que é possível ser feitos os procedimentos regulares, como a limpeza profissional (profilaxia). O indicado é que as visitas sejam feitas ao menos de 6 em 6 meses (2 vezes ao ano).

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Piercing na boca: um guia completo com os cuidados necessários publicado primeiro em http://dentalvidas.com.br/

Deixe um comentário