Queixo grande: como é o tratamento, o que causa e como evitar tê-lo

O queixo grande é uma característica que mesmo que pareça interferir apenas a estética da face, também pode comprometer o funcionamento do sorriso e a saúde bucal.

Conheça aqui o que é o queixo grande, quais são suas principais causas e formas de tratamento:

O que é queixo grande?

O queixo grande, assim como o próprio nome indica, se trata de uma anomalia em que é possível identificar a maior protuberância do queixo. Isso se deve ao crescimento excessivo da mandíbula (parte inferior do maxilar), que fica mais à frente do que a maxila (parte superior do maxilar), e que recebe o nome de pragmatismo.

Uma vez que possui um impacto estético expressivo, o queixo grande está diretamente relacionado à baixa autoestima da pessoa, já que pode proporcionar uma aparência permanente irritação.

O pragmatismo também acaba por está por trás de problemas de má oclusão por mordida cruzada, alterando a harmonia do rosto e atrapalhando as funções do sorriso, tal como fala e mastigação. Outros sintomas que podem ser citados, estão dores locais, dores nos músculos da mastigação, cabeça, e ouvidos, além de ruídos articulares (distúrbios na ATM).

Com o avanço da tecnologia e assim dos procedimentos estéticos, o queixo grande pode ser tratado por diversos tipos de abordagens. O tratamento deve ser feito o quanto antes, evitando que haja a tensão nos músculos da mandíbula e nos dentes, além de uma sobrecarga na Articulação Temporomandibular (ATM) a longo prazo.

O que causa essa situação?

O prognatismo pode ter uma série de outras causas regulares.

Uma das causas mais frequentes do prognatismo é a má formação óssea. Algumas alterações na formação dos ossos, na gestação ou na infância, podem motivar o desenvolvimento exagerado do maxilar, podendo ainda serem intensificadas por traumatismos ou fatores hormonais.

Alguns maus hábitos, como chupar dedos, chupeta e usar mamadeira por um tempo prolongado na infância podem estimular a formação do queixo grande. A forma como a língua é posicionada na boca (contra os dentes), alterações respiratórias (respiração pela boca) estão entre outras possíveis causas.

Além disso, o prognatismo mandibular pode ser motivado por fatores genéticos ou hereditários, já que influenciam nos constituintes da face.

Como é feito o diagnóstico do queixo grande

Como é feito o diagnóstico do queixo grande?

Como o diagnóstico do prognatismo mandibular é feito por meio de uma análise facial e da oclusão (mordida) feita pelos profissionais envolvidos. Por meio dessa análise é percebida a gravidade do caso e segmentada a abordagem de tratamento mais adequada.

Para ajudar na avaliação, o paciente é encaminhado para uma série de exames de imagem, como a tomografia computadorizada.

A decisão definitiva do procedimento ideal somente será feita após o planejamento cirúrgico, que pode ser feito de forma virtual.

Contudo, antes de se submeter a análise inicial do problema, opte por profissionais capacitados e especializados em ortodontia, e cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial para um diagnóstico assertivo e um procedimento seguro.

Como é feito o tratamento do prognatismo?

As formas de tratamento do prognatismo são bastante variáveis, com suas indicações variando de acordo com a observação do dentista. Entre as principais formas de tratamento estão:

Aparelhos ortopédicos

O tratamento por aparelhos ortopédicos está entre as técnicas mais utilizadas. A abordagem por aparelhos ortopédicos é indolor e eficiente, já que atuam na fisiologia do local e instigam a correção dos músculos e ossos envolvidos no processo de mastigação. É um modelo de aparelho removível, o que pode vir a ser um fator positivo.

Pela ortopedia são utilizadas forças naturais do organismo para que os nervos da boca sejam estimulados, modificando assim a estrutura óssea. Na maioria das vezes, é a forma de tratamento ideal na infância, conseguindo reter e realizar o conserto em meio ao desenvolvimento da estrutura óssea de forma muito mais fácil.

O uso do aparelho ortopédico deve ser indicado e acompanhado por um ortodontista, considerando todas as particularidades do caso.

Aparelhos ortodônticos

Já diante do uso de aparelhos ortodônticos, o problema de má oclusão é solucionado através da movimentação dentária. Aqui são utilizados modelos fixos, que possibilitam o uso de uma força ainda mais intensa.

Na maioria dos casos, essa indicação é feita acompanhada de um diagnóstico precoce, atuando tanto na movimentação dos músculos, quanto na preparação da região para um procedimento cirúrgico de mesmo fim (cirurgia ortognática).

Nesse caso, a recomendação é feita para pacientes que já possuam toda a dentição permanente, podendo ser a melhor opção em pessoas adultas. Por fim, esse tratamento tem como objetivo principal o encaixe correto das arcadas, compensando assim o posicionamento dos dentes.

Cirurgia ortognática

Em casos mais complexos e de diagnósticos tardios, o conserto do mandíbula não é possível e o paciente é encaminhado para um procedimento cirúrgico chamado de cirurgia ortognática.

A cirurgia ortognática para correção de prognatismo mandibular (Classe 3), como já dito, é feita de forma complementar ao uso do aparelho ortodôntico, que proporciona o alinhamento dos dentes, enquanto prepara a dentição para o encaixe propiciado pela cirurgia.

A cirurgia em si não é feita em consultório odontológico e é guiada por um dentista especialista em cirurgia bucomaxilofacial, seja pelo sistema do SUS, hospitais ou clínicas particulares.

Após a concretização do tratamento ortodôntico, a cirurgia se responsabiliza pelo reposicionamento da mandíbula, e até mesmo a redução da estrutura da mandíbula, caso necessário. A cirurgia é feita sob anestesia geral e pode durar por volta de 4 horas.

É feito de forma intra-oral, o que é uma vantagem já que não deixa cicatrizes externas na face.

Depois da finalização da cirurgia, o paciente é beneficiado por um melhor efeito estético, pelo ganho de harmonia do rosto e pela melhora de sua fala, mastigação e respiração.

Cirurgia ortognática

Como prevenir o queixo grande?

Em alguns casos, dependendo da causa do queixo grande, pode-se ser feita uma ação preventiva ao problema. Entre as principais formas de prevenção, estão as visitas regulares ao dentista, já que quanto mais cedo ser feito o diagnóstico, o tratamento ocorrerá mais rápido e de forma menos invasiva.

Nesses primeiros momentos, os pais devem prestar apoio a criança e ajudar no tratamento, controlando o uso da chupeta e mamadeira e ensinando desde cedo a parar de chupar os dedos.

No primeiro sinal de que os dentes anteriores inferiores estão fechando na frente dos superiores, o tratamento pode ser feito de forma precoce. Nessas circunstâncias, os resultados são mais duradouros, uma vez que os ossos de mandíbula se desenvolvem até a juventude. Vale ressaltar que a situação pode ser agravada diante da ausência de tratamento.

Visitas regulares ao dentista

Assim sendo, as visitas regulares ao dentista são decisivas tanto para o tratamento, quanto para a ação preventiva.

É por essa periodicidade e pelo acompanhamento odontológico que se é possível descobrir e tratar o problema logo nos primeiros sinais de mandíbula projetada para frente.

Destaca-se a importância das idas periódicas ao consultório odontológico para a restauração da confiança e do bem-estar do paciente. Além de se ter em mente que a anomalia pode trazer mais do que apenas prejuízos estéticos.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Queixo grande: como é o tratamento, o que causa e como evitar tê-lo publicado primeiro em http://dentalvidas.com.br/

Deixe um comentário